Porque a hora é de mudança

Porque a hora é de mudança

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Recordar é Viver: `O encontro do MIltinho Palmeirense com o Jorginho Putinatti´






Por Wanderley Marcos Tico Cassolla


Depois de um bom tempo meio sumido das rodas esportivas, o esportista Milton César Costa Fabrício, o conhecido “Miltinho Palmeirense”, está retornando a ativa. Um pouco devido as suas atividades no cargo de presidente da Associação dos Deficientes de Garça, outra porque o Palmeiras no ano passado, foi um vexame, a ponto de ser rebaixado para a 2ª divisão do campeonato brasileiro.
Como diz o velho ditado, “Depois da tempestade vem a bonança”, neste ano as coisas começaram a mudar. O “Verdão”, depois de muitas reformulações, seja na parte administrativa ou no elenco de jogadores, vem dando mostras que poderá deslanchar . Para alegria de sua imensa torcida e também do Miltinho, que não vê a hora de comemorar um título de grande expressão.
No último domingo o Miltinho viveu duas fortes emoções. A primeira em razão do Palmeiras ter empatado com o poderoso Corinthians, em 2 a 2, mostrando um futebol de encher os olhos.  Segundo ele faltou pouco para ganhar do eterno rival.
A outra emoção foi por ter recebido em sua “humilde residência” antes do clássico,  a visita do ex-jogador Jorginho Putinatti, ídolo palmeirense dos anos 80. De surpresa o Jorginho chegou, deixando o Miltinho feliz da vida. O papo logo engrenou e o principal assunto foi o “verdão”, evidentemente. E o Miltinho com sua memória invejável relembrou de fatos, escalações e jogadores colegas de time, que deixaram o Jorginho impressionado. No flagrante da esquerda para direita: Rafael, Jorginho Putinatti, Gabriel e Miltinho Palmeirense. Ambos desafiaram este articulista e o Polaco, que o Palmeiras não perderia para o Corinthians. Acertaram.
Dentre os vários temas dois chamaram nossa atenção: Jorginho afirmou que levará o Miltinho para conhecer a nova Arena palmeirense, assim que ficar pronta.
De outro lado, o Miltinho prometeu que irá fazer o seu tradicional prato de  “torresmo de porco” e recepcionar o ídolo para degustação, que de pronto aceitou o convite.  Na outra foto da revista “Placar” , do ano de 1986, Jorginho Putinatti e o flagrante de quando entrou em campo com um porco nos braços eternizando o “símbolo”  palmeirense. 
                                                  
A CARREIRA DO JORGINHO:  O mariliense Jorge Antonio Putinatti foi um habilidoso meio-campista revelado pelo MAC – Marília Atlético Clube, nos idos de 1975. Foi descoberto pelo treinador Pupo Gimenez, um verdadeiro revelador de talentos. Viveu sua melhor fase no Palmeiras, onde atuou em 373 partidas, obtendo 160 vitórias, 131 empates e 82 derrotas e marcou 95 gols. É o 11º artilheiro da história do Palmeiras. No Corinthians disputou 48 jogos, com 18 vitórias, 16 empates e 14 derrotas, marcando 7 gols. Jorginho jogou ainda no Fluminense carioca, Grêmio-RS, Guarani, Santos, XV de Piracicaba, Toyota e Nagoya Grampus (Japão). Na seleção brasileira (e Olímpica) foram 23 jogos, com 7 vitórias, 8 empates e 8 derrotas e 3 gols marcados. Só não disputou a Copa de 1986 (México), integrando a memorável seleção de Telê Santana, pois se contundiu num amistoso preparatório contra os juniores do Atlético-MG. Suas cobranças de escanteios eram mortais e quase sempre resultavam em gols olímpicos. 

Fonte: Jornal Comarca de Garça